quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

carruagem da mala-posta 5

Dando seguimento, na construção da carruagem da malaposta de origem desconhecida, mas com o nº5 gravado nos estribos de acesso ao interior , o que na verdade deveria ser afixado nas portas, para uma mais fácil identificação, pois com os estribos dobrados não é possível ver o nº da carruagem.
Bem depois de todas as medidas, fotos, desenhos e esboços, é altura de passar tudo para a escala 1/10 e dár início ao trabalho, aqui vão algumas fotos deste progresso, já com os desenhos bastante avançados e algumas peças em execução.


 várias fases da construção dos planos, para dár inicio á construção.




Construção do estaleiro, com as longarinas onde toda a carruagem vai assentar já em execução.



sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Hoje terminei as rodas da carruagem, elas estão prontas para pintar, como podem ver já tem a 1ª camada de primário, para proteger a madeira e metal.
Esta carruagem fazia viagens muito longas e contínuas, ao longo de estradas com muitos buracos, curvas e inclinações, e ainda o enorme peso que a mesma transportava, portanto as rodas tinham que ser robustas , fortes e compactas, como podem ver os raios são escalonados a 3 e 7 º  o que lhe concede uma grande solidez aos choques de torção  e tracção , as pinas,







são também aparafusadas aos aros das rodas, reforçando assim todo o conjunto, em que cada roda de trás pesava cerca de 70 kg., por este motivo era dedicada especial atenção a estes componentes das carruagens da malaposta.
Mais algumas fotos desta compilação.
Dado que este será o meu último artigo publicado neste ano de 2017, aproveito para desejar a todos os leitores votos sinceros de um Ano Novo cheio de prosperidades e com muita saúde. J. C. Brito.

 Os aros são em aço de 1mm de espessura e soldados a prata para maior solidez.


 Os raios no cubo da roda são escalonados a 3 e 7º.


 As pinas são aparafusadas ao aro da roda para  dár maior solidez a todo o conjunto da roda.

sábado, 2 de dezembro de 2017

A IMPORTÂNCIA DAS RODAS NAS CARRUAGENS DA MALA-POSTA
Havia 2 componentes nas carruagens, ás quais os cocheiros dedicavam especial atenção, a lança e as rodas, a primeira quando se partia, a carruagem ficava sem controlo e despistava-se, as rodas quando colapsavam provocavam acidentes imprevisíveis, cada carruagem da malaposta de origem Francesa pesavam aproximadamente 1.900 Kg. Vazia, mais os passageiros, até 12, mais a carga de correio e demais bagagens, no total  seriam aproximadamente  2.600 Kg,. Que as rodas tinham que suportar ao longo de 300 Km.do percurso entre Lisboa Coimbra e Porto, por esta razão as rodas das carruagens tinham características especiais para aguentar este enorme esforço, para se ter uma ideia da robustez destes componentes, cada roda traseira, portanto as maiores, pesavam entre 60 e 70 Kg, com as ferragens, os cubos e as Pinas eram feitos de madeira de azinho, e com a madeira semi-verde, pois em seca era impossível trabalhá-la, tinha um comportamento como o ferro, para lhe conferir ainda maior robustez, os raios não eram simétricos, mas sim escalonados a 3 e 7 graus em relação ao cubo do lado de fora, nas investigações que fiz a este respeito, há relatos de, nos meses mais quentes do ano era  habito enrolar uma serapilheira encharcada em água em volta do cubo junto dos raios a fim de manter todo o conjunto mais uniforme e evitar que os raios do sol incidissem sobre eles, provocando folgas e gretas e evitar assim o colapso das rodas, Havia em todas as estações de muda uma ferraria onde dispunham de rodas suplentes para todas as eventualidades, os eixos das rodas eram lubrificados também com alguma regularidade  devido ao grande atrito provocado pelo peso e grandes distâncias percorridas, os lubrificantes usados eram uma mistura de óleo com sabão.
Em relação ás rodas desta miniatura que agora vou iniciar, dado que são muito similares ás anteriores eu não me vou alongar muito em pormenores, apenas as partes principais que as compõe, várias  pessoas me tem abordado este tema, da construção das rodas, pois é um trabalho que requer alguma habilidade e muito treino, mas aqui vão algumas fotos deste trabalho.


 Nesta foto é possível  ver o escalonamento dos raios, de fora 3 º interiores 7 º
 Algumas fases da construção das rodas, após o desenho feito á escala 1/10 as pinas cubos e raios.


 Gabarito para centrar e afinar os raios dentro das rodas.

domingo, 26 de novembro de 2017

o meu novo projeto

Hoje venho anunciar o meu novo projecto para os próximos tempos, trata-se da carruagem da mala-posta com o nº 5 , mas de origem desconhecida.
 Quero antes de mais deixar aqui um agradecimento muito especial ao Sr. Patrick Magnaudeix,pelo interessante artigo de carácter histórico cultural e didático publicado no blog, Attellage- Patrimoin, em que é abordado num primeiro artigo, toda a história da mala-posta em Portugal , bem assim como também as  minhas miniaturas referentes a este evento, a ele o meu muito obrigado pelo interesse e disponibilidade em fazer e publicar este valioso artigo.Também um agradecimento muito especial A Fundação Portuguesa das Comunicações, pela permissão em eu poder tirar todas as medidas e fotos necessárias a este trabalho.
Esta carruagem, nº 5 encontra-se em exposição permanente no Museu da Fundação Portuguesa das Comunicações, em Lisboa, é de realçar o cenário em que ela se encontra, vale bem a pena fazer uma visita ao museu e ver ao vivo como era a vida e a azáfama naquele tempo, vivida numa estação de muda de cavalos ao longo do percurso entre Lisboa, Coimbra e Porto no séc. XIX, 
Aqui deixo algumas fotos que atestam este cenário de realidade, parada no tempo.




segunda-feira, 4 de setembro de 2017

artigos publicados em França sobre os meus trabalhos

Para os que gostam e apreciam este tipo de trabalhos em miniaturas de coches e carruagens, gostava de chamar á atenção para os vários artigos que estão a ser publicados em França, por Patrick Magnaudeix, no blog ATTELAGE- PATRIMOINE, este senhor é um conhecedor profundo de tudo quanto se relaciona com coches, carruagens, cavalos e toda a história que se relaciona com esta matéria.aqui envio o endereço para que possam ver e apreciar o conhecimento deste senhor, apesar de estar tudo em Francês, dá para perceber.
Entretanto alterei também a base da carruagem da coroa, está terminada, a base era em veludo vermelho e agora alterei para azul com o caixilho em cor preta, também gostava de informar que a carruagem da mala-posta que terminei, se encontra em exposição no Museu Nacional dos Coches, ao lado da original, se puderem ir lá, em particular ao Domingo de manhã, não se paga entrada,é livre, e terão a oportunidade de ver ao vivo a original e a réplica. espero que gostem de ver.
http://www.attelage-patrimoine.com/2017/06/brito.html
http://www.attelage-patrimoine.com/2017/06/coche-de-philippe-ii-original-et-maquette.html
http://www.attelage-patrimoine.com/2017/07/les-carrosses-modernes-originaux-et-maquettes-de-m-brito.html





terça-feira, 29 de agosto de 2017

restauro do assento do condutor da carruagem da coroa

Dado que esta carruagem foi dos meus primeiros modelos a ser construída, ainda não era possível eu dominar as técnicas e os materiais que hoje eu consigo fazer, no entanto a construção deste assento sempre me ficou um pouco atravessada no desejo de o refazer a fim de ficar o mais parecido com o original, nomeadamente os ornamentos e os brasões que o assento ostenta nas laterais, aproveitando o mês de Agosto mais calmo e sossegado, aproveitei para fazer este reparo, aqui estão algumas fotos desta reconstrução, que espero gostem de ver. a primeira foto é a do modelo original para fazerem uma comparação do assento.










quarta-feira, 26 de julho de 2017

CARRUAGEM DA MALA-POSTA 7 FINAL DA CONSTRUÇÃO

Final da construção da carruagem da mala-posta nº 7, ao fim de um ano e quatro meses, hoje terminou mais uma obra da minha coleção.
É importante divulgar um pouco da história que está associada a esta carruagem da mala-posta,
Em 1859 com a conclusão da estrada entre Lisboa e Porto , deu-se inicio ás carreiras diárias da malaposta entre Lisboa (Carregado) e Porto cerca de 300 Km. com 23 estações de muda, demorando cerca de 5 minutos, para troca de cavalos, demorava aproximadamente  34 horas entre os dois percursos e o preço em 1ª classe de Lisboa ao Porto era de  13$50.
Mas com o desenvolvimento industrial e tecnologico da época o comboio era uma séria ameaça á continuação das carruagens da mala-posta, o que veio a acontecer em 7 de Julho de 1864, com a inauguração do comboio entre lisboa e Porto, fazendo assim a última viagem desta carruagem , e por isso muito provavelmente , em omenagem aos bons serviços prestados por esta magnífica carruagem, foi-lhe atribuído o Nº 7  data do último serviço prestado no transporte de correio, passageiros e encomendas.
Desejo sinceramente que tenham gostado desta compilação ao longo do tempo de construção, quero também dizer que todos os comentários, observações, sugestões e críticas, são bem vindos, pois é uma maneira de melhorar e tornar o blog mais participativo futuramente.
Os meus sinceros agradecimentos a todos os que acompanharam esta construção, obrigado a todos.












Esta é uma pintura em azulejos que que imortaliza a passagem das carruagens da Mala-postan no restaurante Pompeu dos Frangos na Malaposta, onde se localizava a estação de muda Nº 16 entre Lisboa e Porto, um agradecimento ao proprietário do restaurante por preservar tão grande tributo á carruagem da malaposta em Portugal.